segunda-feira, 2 de maio de 2016

______________________________________________________________________________________________________________


Aquilo que tentei colocar em palavras há uns dias foi, em larga medida, o mesmo que a Sílvia Silva fez tão bem aqui. Sinto uma espécie de saturação que não consigo definir nem explicar. Saturação não como aborrecimento, nem necessariamente negativa, mas quase no sentido químico - sinto-me cheia, a abarrotar, no limite, como se não conseguisse absorver mais nada. Isto é novo.

Não sei se o silêncio é a resposta que procuro. Ainda não sei.

8 comentários:

Lulu walkingonsunshine disse...

Olá Raquel
Eu sei o que é isso , dá um tempo e não feches o apagues o blogue.
Faz parte da vida estes momentos. Afinal nem sempre estamos inspirados ou dispostos a andar por aqui .
A resposta estará no tempo .
O blog é uma parte ludica da nossa vida e isso não se apaga,ficam as boas recordações.
Até já
Bjs
Lulu

Raquel disse...

Já passei por momentos desses e acredito que voltarei a passar. Acho que o corridinho desta vida leva-nos a essas sensações que descreves. Parar faz bem. Respirar. Mas deixa a porta entreaberta. Porque depois eventualmente apetece voltar. ♥

Raquel Úria disse...

Eu não vou embora! Nem faço pausas. Posso escrever mais espaçadamente uma vez ou outra (como tem acontecido) mas, para já, fico por cá.

Alexandra Vieira disse...

Raquel... não vás!
Vai voltando com a tua rubrica das 5ªs feiras. Tens sempre ideias tão giras!
Aguardamos...

Ana Fernandes disse...

Acho que são fases, somos pessoas da mesma geração, interiormente podemos estar perante as mesmas questões existenciais, sob a mesma energia que nos leva a reavaliar a vida. Importa ter presente o propósito das tuas partilhas no blogue. No meu faço-o primeiro para mim, sem expectativas de ser lida, depois quem vier, que venha por bem. E assim não tenho questionado a continuidade.
Gosto de passar por aqui!

Ana Fernandes disse...

Acho que são fases, somos pessoas da mesma geração, interiormente podemos estar perante as mesmas questões existenciais, sob a mesma energia que nos leva a reavaliar a vida. Importa ter presente o propósito das tuas partilhas no blogue. No meu faço-o primeiro para mim, sem expectativas de ser lida, depois quem vier, que venha por bem. E assim não tenho questionado a continuidade.
Gosto de passar por aqui!

Rita disse...

Entendo-te perfeitamente. Daí ter deixado de escrever. Mas eu gosto tanto, tanto do teu blogue. És tão criativa que adorava ser como tu. E tens um blogue muito bonito. Pára se tiveres de parar mas depois volta. <3

Raquel Úria disse...

Obrigada Rita, que amor!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...