quarta-feira, 17 de abril de 2013

dia 4 - pintar com rolo-carimbo


The Painted House

A casa onde cresci (que era dos bisavós, passou para os avós paternos e é onde os meus pais vivem) tinha paredes assim, cheias de desenhos feitos com esta técnica das duas tintas de cores diferentes e rolo com relevos. Tudo pintado pela minha avó materna aquando do casamento dos meus pais. A avó era a orgulhosa proprietária dos rolos que, agora que penso nisso, preciso descobrir se ainda existem. Havia vários padrões (e cores) diferentes em quase todas as divisões e fui eu que, algures durante a adolescência, tive a brilhante ideia (not!) de convencer os meus pais a pintar tudo de amarelo por cima. É verdade que as tendências influenciam muito os nossos gostos e, na altura, aquela mudança me parecia urgente. O amarelo pálido, entretanto progrediu para o branco atual de que continuo a gostar, mas a verdade é que agora já me apetece de novo piscar o olho a estas técnicas com tintas que substituem o papel de parede e são tão mais higiénicas, fáceis de substituir e igualmente criativas.

O que acham desta alternativa às paredes lisas e ao papel de parede? Honestamente, digam-me lá como têm evoluído os vossos gostos?

7 comentários:

Guilhim disse...

Eu acho a ideia e a técnica fantástica e tem a tal vantagem de ser "facilmente" reversível quando cansar: basta pintar por cima e pronto! Descobre lá os rolinhas e dá asas ao tem bom gosto... Quando à evolução do meu... vá lá que nunca consegui concretizar a ideia de forrar um quarto com páginas de bandas de desenha dos irmãos metralha...

Raquel Úria disse...

Forrar o quarto com páginas de banda desenhada dos irmãos metralha é intemporal! :)

R. disse...

Eu não conhecia isto... e estou maravilhada!!! Sempre fui muito de brancos e, no máximo, uns alfazemas. Cor de rosa, verde, azul, amarelos, seja o que for, sempre achei que me cansariam depressa. E nunca tive muito a ideia de provisoriedade para as coisas da casa. Talvez hoje tenha mais, mas, mesmo assim, sou muito de pensar e medir e quando é para fazer, é porque estou muito convicta de que é para ficar... Em casa dos meus avós havia papel de parede. Portanto, essa foi a realidade até aos meus dez anos. Em casa dos meus pais, daí em diante, sempre foi tudo muito branco, muito pastel... não há portas em casa dos meus pais que não estejam pintadas de branco, para teres uma ideia... No fundo, nunca corri nem vi correr grandes riscos nesta matéria. Mas agora estou tão curiosa :) Pinta e mostra-nos :)

Scarlet Red disse...

A casa onde nasci e cresci continua a ter uma divisão assim pintada :D mas lembro-me agora que grande parte da minha infancia foi passada num quarto vermelho sangue!!
O problema dos anos 70, quando se usavam esses rolos, eram as cores.
Agora acho que podem resultar muito bem em tons suaves.

Raquel Úria disse...

R.: as saudades que eu tenho das "minhas" portas brancas!

Scarlet Red: um quarto vermelho sangue para uma Scarlet Red não podia ser mais apropriado! :)

Ana Rute Oliveira Cavaco disse...

parece fixe, se for em tons clarinhos!
isso é bom para disfarçar paredes sujas de mãos de crianças, pensando bem!

Dora disse...

Adoro! Onde podemos encontrar rolos desses?

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...