domingo, 29 de julho de 2012

a tragicomédia que é a minha vida


Espetadas de peixe fresco, lulas e pimentos, grelhadas e a acompanhar batatas novas cozidas com pele e uma salada de tomate com manjericão? Podia ser Verão o ano inteiro.





Armei-me em aventureira e andei na praia a apanhar mexilhão sozinha. Fiz como me lembrava de ver em pequena: em rochas difíceis, em sítios submersos e que não apanhavam Sol, transportei-os até casa refrigerados e em água do mar, limpei-os à faca, cozinhei-os... e depois de todo este trabalho e de já estarem à mesa, deitei-os fora porque o ele cá de casa começou a assustar-me com histórias de intoxicações alimentares com marisco. Fui fraquinha, eu sei. E cheiravam tão bem! Shame on me.

7 comentários:

R. disse...

Ahahahahah :) Não há direito... Ai... e agora olhei para as tuas fotografias e sabes do que me lembrei?! De lapas. Dos Açores. Da Ribeira Grande. Do Alabote. Da vontade imensa com que ando de voltar à ilha. Ai, ai. Saudadinhas de ti*

Raquel Úria disse...

As palavras "Açores" e "lapas" combinadas têm em mim um efeito semelhante ao do sino no cão do Pavlov. :)

Ana Rita disse...

Ohhh pá isso não se faz!!!Mas deixa lá que eu também sou fraquinha nesse aspecto e tenho sempre muitas duvidas e receios com o marisco, e diga se de passagem que uma intoxicação não é qualquer coisa por qual se passa de bom agrado.
Para a próxima compras os mexilhões e delicias te com segurança.Acho eu?!?
Bjoka
Rita

Sandra disse...

Essas espetadas tinham cá um aspecto........ lecker (com se diz por terras alemás!).
Bjinho

Raquel Úria disse...

Ana Rita: é verdade e vou ter que fazer em breve. Talvez experimente uma receita tua. :)

Estavam óptimas, Sandra, e de facto é difícil encontrar na Alemanha peixe fresquinho como temos em Portugal. É uma pena.

disse...

A minha mãe sempre apanhou mexilhão nas praias (da linha de Sintra), desde que eu era pequena que ela faz isso no verão, sempre fez uns belos cozinhados com o mexilhão e nunca aconteceu estarem estragados ou impregnados de alguma porcaria, é que nunca aconteceu mesmo. E não eram poucas as vezes que ela o fazia. Agora ainda apanha de vez em quando mas não com tanta frequência. Acho que o pior mesmo é aquele marisco que é apanhado e deixado ao sol, nas montras antes de ser cozinhado, isso sim parece-me perigoso, estarem fora do frigorifico, etc. Vindo direto do mar, há que confiar, e se cheirava bem ainda por cima, era um sinal de que estava bom. Digo eu, que sempre andei ao mexilhão com a minha mãe.

Kella disse...

Um crime...deitar mexilhões fora :)...cá em casa somos verdadeiros devoradores de moluscos, sejam eles quais forem, sejam apanhados, recebidos de presente ou comprados no super. Mas sim, talvez seja sempre um risco, quem sabe?

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...