sábado, 31 de dezembro de 2011

2011


Mais um ano chega ao fim.
Alguém conseguiu já explicar porque é que quando somos crianças o tempo parece passar tão devagar e à medida que crescemos a sensação é de que passou a correr? Foram 12 meses, 365 dias cheios. Sinto que me faltou tempo para muita gente e essa é a pior sensação. Mas foi este ano que, finalmente, consegui corrigir e passar para computador as memórias que a minha avó deixou manuscritas e partilhá-las com toda a família; o meu irmão (e a Catarina) regressaram para "perto" de nós e vão "dar-me" uma sobrinha, a Júlia; encontrámos uma casa maior de que gostamos mais e pela qual pagamos menos; ganhei uma nova amiga muito querida e aprendi muitas coisas novas.  Foi um ano de muitas coisas boas e muitas coisas más, um ano menos sereno que os anteriores. Às vezes são precisos anos assim para nos acordarem. Não sei, estou a tentar tirar algo de positivo deste ano em que a palavra "crise" foi das mais ouvidas (e lidas). Sempre acreditei que os períodos de dificuldades são os de maior crescimento. Ninguém é desafiado a evoluir quando está numa situação confortável. É seguir!

5 comentários:

R. disse...



(sem palavras)

Ana Rute Oliveira Cavaco disse...

muito bonito, o bordado.

Trabalho a 4 mãos disse...

Tudo muito bonito e o resumo do ano talvez se encaixe num nº alargado de pessoas. :)
Hoje está a apetecer-me acreditar em 2012 :))
Sílvia

R. disse...

Não me canso de olhar para estas fotografias. Deixam-me sempre com um sorriso enorme :)
Beijinhos, pipoca!

Raquel Úria disse...

:)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...